Chuva Doméstica-por Lêo e Lívia.
border=0
 
   Arquivos

 
border=0
Votação
Dê uma nota para meu blog



border=0
 


ainda nas consulta oracular chinesa com vodka sueca 

despistei meus ansiolíticos sócios e contratos

como eu queria que você voltasse




Escrito por .... às 22h49
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






fui correndo do studio até a rodoviária, passando pelo terminal central onde me ofereceram mais drogas,
A moça da área de embarque pediu pra ver o documento que eu dizia precisar urgentemente te entregar antes de voce partir
eu não poderia mentir, mostrei pra ela os papéis todos amassados do meu caderno de consulta compulsiva ao iching
e disse que ela ia rir, mas que era uma carta. No fim não deu tempo, voltei andando pra casa, comprei um maço de eight nacionald
e to aqui assistindo um documentario sem legendas sobre o andy warhol.
Entrei na faculdade de artes odiando esse mala, mas agora tenho certeza que meu destino é nunca amar ninguém

leo



Escrito por .... às 01h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






 

 

 

 

inserindo qualquer material, mecânico ou orgânico na máquina de fazer máquina

você terá uma cópia idêntica da coisa original, desde que essa coisa não seja a máquina de fazer máquina. A própria máquina porém produz apenas uma cópia de si mesma, visto que  é preciso uma peça de alimentação fundamental no funcionamento da máquina, que só se encontra na máquina original e precisa, então, 

 

 

 

 

previsor

 

 

 



Escrito por .... às 01h38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Tomar aquele remédio foi tão sagrado quanto tomar uma hóstia.

vou magoando até os mendigos da rua quando posso

puxando assunto com quem não me conhece para fazer graça pra mim mesmo

bardo tímido compensa na politicagem

socos na luz do dia pra provar hostilidade

remediando todos os santos que me pesam no enclaustro 

de um pouco de lama para quem não sabe o que é ouro

rasgue um porco de tanto provar do veneno

trem de volta parado até que se encoste no cenário

ato reverso continuo de abrir redes sociais

descontinuidade cerebral de se ler algo que informe

conformidade líquida com açúcar de cocaine



previsor


Escrito por .... às 19h09
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






uma morte brutal o caminho para a reencarnação é 

previsor



Escrito por .... às 17h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






São onze da manhã e trinta minutos que já não me aguento neste espaço com ela dormindo. 

Seu desprezo é tanto que me põe de raiva de mim mesmo. 

Eu escolhi meus caminhos então por que diabos me questiono tanto.

Se eu tivesse uma arma agora não hesitaria em dar um tiro apenas para acordá-la e pedir que me beije.

 

Minhas cercas são instintivas, mas meu amor é totalmente distópico


previsor



Escrito por .... às 11h35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






cenário cidade portuária

 

há um capitão que não passa despercebido

 

duas dívidas: uma com o suicídio uma com a loucura

carregamento de leões

tu não parece um rockstar


previsor



Escrito por .... às 19h11
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]








A música foi fora esse fim de semana. Toda ela se esgotou, de pouco em pouco. Até mesmo o silêncio das ruas de viciados em crack, os gafanhotos de folha de cana trocados por tatuagens de nossa senhora aparecida no antebraço, o cassino sobre um prédio do habibs, os corres de cocaína com taxista, o medo dos travestis no elevador, a confiança dos velhos amigos, aqueles roubous de vegetais e lutas de boxe, as promessas familiares, meus corações partidos pelas garotas perfeitas e depois enegrecidos pelas garotas malditas: tudo.
Tudo minha obsessão engoliu.
Meu único dente que me restava eu não pude mais olhar. Arremessei-o pela janela assim que voltei a escrever. Percebi que não será uma tonelada de desenhos que me salvará, nem tampouco um ultrarealismo qualquer. De eugenista da arte à louvador de merda, nem mais isso agora tem validade. Virei capitão de uma tripulação insandecida, que aposta todas as esperanças e almas na possibilidade quase nula de que eu encontre a Baleia.
Eles me chamam de nada. É como se eu fosse uma aparição transitória demais para o dia a dia de cada um deles, e os mais loucos me abraçam com força para ver se o cheiro puro do meu desespero impregna em suas roupas e daqui 20 ou 30 anos, possa salvá-los do tédio desgraçado.
Eu, como uma memória interessante. As memórias interessantes não deixando que eu me coma vivo.
Ontem acordei totalmente destruído. Se em algum momento eu achava bonito que o despertar fosse complicado, pois o mundo dos sonhos é muito mais incrível, hoje só começo a fazer dezenas de coisas para reaprender na marra logo as coisas da realidade: privada, espelho, reflexo, vale alimentação, porta, térmica, mastro, proa, popa, vela, e é antes que dê a hora do almoço.
Tinha acabado de encontrar com um dos dois demônios, mal sabia que estava para me encontrar com o outro.

previsor



Escrito por .... às 12h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Sangue novo, missão, cavalos gordos e uma feijoada destruindo toda minha possibilidade de trabalho, e mais um dia eu postergo meus tão urgentes afazeres. O bom da arte é poder ser vago, coisa que na vida eu pelo menos me cobro muito para não ser. To com o cérebro cozido, cabei de dormir dividindo o sofá com meu irmão, que nunca tinha ouvido uma banda de choro até então, enquanto enchemos o pandu de fejuca que foi rachada por ele e pelo meu pai pois eu acertei o preço e fiquei fora da partilha (eu nem tinha levado carteira).

Porra cada mínimo fato do dia eu consigo encher de significado, bolar narrativas e lembrar de algum fato da minha infância que fui um imbecil pra variar, e voltar a me cobrar pra fazer algo que nem sei o que é.

Enquanto te escrevo, ele entra no quarto e eu digo que não vou no mercado com ele e meu pai. Ele ve que estou escrevendo e não fica de conversa, ele é um dos poucos que sabe o que é isso. 

Mentira, ele entrou de novo pra cobrar de ir. 

vou né

te escrevo esta carta depois, pequena princesa das trevas


previsor

 

 



Escrito por .... às 17h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






 

Toda as milhões de palavras contidas numa trilogia de crucificação, todas elas, levando-me arrastado à fonte desconhecida da confiança no tempo, reembaralhando conhecimentos e certezas em minha cabeça e desta vez sem maço,

Todas as centenas de milhares de idéias de um sonhador, encontrando um recipiente puro então- um receptáculo: pois fecunda tudo em criação, aves em objetos, árvores artefatos, demônios mentiras tão grandes quanto deus, e tudo isto menor que um ponto, e todo ponto crucial num discurso em que se termina falando de luz.



previsor



Escrito por .... às 10h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






na maioria dos casos

a vítima poderia ter se ausentado 

 

os corpos empilhados

alimentam três pratos

 

meu nome é mais tradicional

do que se pensa:

transcendência animal

 

tenho pouco tempo

o espaço já não está aqui

 

tenho pouco tempo

sinto minha mente a cingir

 

o ronco da descarga

no liquidificador

 

Na minoria dos casos

existem iniciados

 

o novo contrato

o novo torpor



previsor



Escrito por .... às 19h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






 

 

Ontem fechei o livro e fui dormir puto por ter passado o dia fugindo de um papo reto comigo.

Arranjei alguns adesivos de guerra, mas a única trincheira que me preocupo é a que vai entre meu umbigo e um bom prato de comida chinesa servida por uma gueixa que eu vou certamente xavecar. 

Meu irmão é um cara admirável, que de tão preocupado com meu nariz me fez lembrar que tenho um cão chamado leo.

Quantas são as coisas que consigo terminar com paciência não me lembro, mas ao menos não noiei tanto em literatura ao ponto de fazer inversões gramaticais em conversas de facebook.

Nunca aprendo a lição de não ser um copista, e pela manhã fumo quatro cigarros paraguaios ouvindo a caixa postal me dizer que sou um fraco pra tudo que não seja graça.

Vou inserir objetos nas peles dos outros tentando resolver meus demônios dá nisso: esquizofrênia compartilhada crônica.

Até episódios de todo mundo odeia o chris me parecem mensagens cósmicas.

Agora só me resta ouvir um hard rock farofa tão sozinho quanto a cachorra que adotaram e que nunca foi com a minha cara.

 

previsor



Escrito por .... às 09h15
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Cheguei com meu papo de sempre, inseguro e auto inflado

feito um macaco que conseguiu salvar algum companheiro

de um bote de um réptil

A baleia que tanto persegui nem sequer existia como idéia

Os tiros que dei pra cima acertaram minha própria epopéia

agora eu já não sei se sou um artista 

ou se prefiro falar do fidel castro ou do amigo do dramaturgo que deixei de admirar 

por um momento de vaidade

Posso descer até o bar do china e fumar um cigarro olhando pra minha sacada suicida

e me ver lá, em pele e osso e mágoas

percebendo que por falar tanto e demais

escuto igualmente muito o satã



Escrito por .... às 09h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






filme 2014 das tartarugas ninjas e voce preocupado com ambição, amizade e respeito

conversar sobre a copa do mundo se tornou questao de 

posicionamento

eca, nao me desejo pra ninguem



Escrito por .... às 23h18
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Li que num futuro próximo todos seriam
ou escritores ou tatuadores.
Se tudo der certo,
todos vão aprender a dancinha do robô.
Se tudo der errado,
vamos todos ter aprendido o nunchaku.
Claro que existe a sombria possibilidade de
distribuirmos presentes de 1 e 99
pra uma platéia de robertos carlos num cruzeiro
diretamente de um saco de sanito azul claro
Só não podemos moscar e deixar o futuro nos encher
cheio de escritores e tatuadores

previsor



Escrito por .... às 10h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
border=0